Colocar Resposta 
 
Avaliação do Tópico:
  • 0 votos - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Sistemas nos EUA e Irão sob ataque
20-07-2010, 13:25
Mensagem: #1
Sistemas nos EUA e Irão sob ataque
[Imagem: tramientoycura.com_energia_nuclear.jpg]


A ESET, lançou um alerta acerca do worm denominado Win32/Stuxnet e que ameaça os utilizadores de todo o mundo. Explorando uma vulnerabilidade no Windows Shell, esta ameaça é detectada pela ESET como LNK/Autostart.A. É utilizada em ataques direccionados a sistemas SCADA, especialmente utilizados nos Estados Unidos e Irão. Os SCADA são sistemas de monitorização utilizados em diversas industrias, como por exemplo, nas estações de produção de energia.

De acordo com o ESET Virus Lab, o worm já está activo há vários dias, especialmente nos Estados Unidos e Irão. Mais concretamente, cerca de 58% das infecções surgem nos Estados Unidos, enquanto 30% estão localizadas no Irão. Chegam também notícias de infecções na Rússia, sendo que este número pouco ultrapassa os 4%.

Os ciberataques nos Estados Unidos e a actividade deste worm no Irão vêm lembrar a tensão persistente que se vive entre as duas nações, especialmente relacionada com questões nucleares. “Este worm é um caso exemplar da utilização de ataques direccionados e que exploram uma vulnerabilidade “zero-day”, ou seja, que ainda é desconhecida para os utilizadores em geral. Este ataque, em particular, está dirigido aos sistemas de monitorização SCADA. Resumidamente, isto pode ser um exemplo do uso de malware no campo da espionagem industrial. A grande questão é perceber-se porque motivo os ataques parecem mais dirigidos a determinados países”, referiu Juraj Malcho, responsável pelo Vírus Lab da ESET, localizado em Bratislava, Eslováquia.

Muitos dos danos causados por este worm estão limitados a alvos industriais, sendo que os utilizadores domésticos estão a ser muito menos afectados. De acordo com a análise efectuada pela ESET, o worm Stuxnet não representa para os utilizadores domésticos uma ameaça superior ao malware mais comum. O perigo está relacionado com uma vulnerabilidade em sistemas operativos Windows, especialmente relacionada com o processamento de ficheiros LNK.

Já na vertente industrial este worm pode abrir um precedente para situações muito graves, já que será apelativo para qualquer grupo terrorista poder aceder e controlar estações de produção de energia.

Mais do que olhar, importa reparar no outro. Só dessa forma o Homem se humaniza novamente.
Visitar Website de este utilizador Procurar todas as mensagens deste utilizador
Citar esta mensagem numa resposta
04-06-2012, 11:37
Mensagem: #2
RE: Sistemas nos EUA e Irão sob ataque
Foi Obama que mandou atacar o Irão com o Stuxnet

A rede de botnets Stuxnet foi criada em conjunto pelos EUA e Israel para espiar instalações nucleares do Irão. Só que as agências governamentais dos dois países acabaram por perder o controlo deste malware que infetou milhões de computadores no mundo.

O objetivo do Stuxnet era sabotar instalações nucleares iranianas. Norte-americanos e israelitas colaboraram na criação e emissão do vírus para o Irão. A notícia é avançada pelo New York Times e confirma que os EUA e Israel perderam o controlo sobre o código malicioso.

O plano começou a ser delineado com a administração Bush e foi continuado por Obama. O acesso à Net em Natanz, a instalação nuclear iraniana, é proibido. No entanto, cartões de memória e pens USB circulavam com relativa facilidade. O primeiro passo foi mapear toda a rede interna da instalação nuclear. O worm foi criado pelos laboratórios norte-americanos para acabar com as centrifugadoras nucleares. Depois, os agentes norte-americanos tiveram de confiar em pessoal da manutenção e engenheiros infiltrados, com acesso físico a Natanz, para instalarem o seu malware.

Com a chegada de Obama, o programa “Olympic Games” foi continuado. O Stuxnet já tinha causado problemas na instalação nuclear, mas conseguiu escapar-se, provavelmente no portátil de alguém, e chegou à Internet. Nesta fase, os EUA acreditaram que houve uma manipulação por parte de Israel para difundir o código na Net.

Os EUA começaram então uma estratégia de contra-informação, acusando a Rússia e a China de estarem envolvidas neste ataque informático. Obama estava ciente de que a descoberta do envolvimento dos EUA em ciber-ataques poderia legitimar organizações terroristas ou outras nações a empreenderem o mesmo tipo de estratégia e tentou sempre ocultar a participação norte-americana na ameaça Stuxnet.

Fonte:http://exameinformatica.sapo.pt/noticias...z1worORFcZ

Same old uncle Sam...

[Imagem: ztc07a.jpg]
Não resolvo dúvidas por PM.
Procurar todas as mensagens deste utilizador
Citar esta mensagem numa resposta
Colocar Resposta 


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)